Estilistas de Sucesso: a história de Coco Chanel

Agosto era o mês de aniversário dela, que é considerada uma das estilistas mais icônicas do mundo da moda: Coco Chanel. Única profissional do ramo presente na lista das cem pessoas mais influentes da história do século XX (Revista Time), Gabrielle Bonheur Chanel completaria 135 anos no dia 19, e é por isso que ela é nossa estilista de sucesso da vez.

Créditos: Roger Viollet/Getty (1936)

Créditos: Roger Viollet/Getty (1936)

A seguir, entenda um pouco mais sobre a carreira da criadora de uma das marcas mais valiosas do mundo, que teve início aos seus 18 anos de idade.

História da carreira de Coco Chanel

Nascida na França, Chanel teve uma infância bastante tumultuada e vulnerável, já que perdeu sua mãe aos 12 anos, quando foi deixada por seu pai para viver em um orfanato. Foi aos 18 anos que sua ligação com a moda se iniciou, já que a estilista foi morar em uma pensão católica para moças, onde se aperfeiçoou como costureira.

Mas, foi em 1909 e com recursos provindos dos relacionamentos que mantinha na época, que Coco ingressou no marcado, ao abrir uma loja de chapéus. O empreendimento logo fez muito sucesso e, em apenas 4 anos, a estilista já era dona de duas lojas do gênero.

A simplicidade e o conforto, traços marcantes de suas criações, logo puderam se fazer presentes também em roupas. Vestidos chemisiers soltos, amplos cardigãs, peças em jérsei e suéters com corte masculino foram aparecendo e brilhando entre as peças da designer.

Seu estilo inovador, inclusive, se deu pelo característico apego ao guarda-roupa do sexo oposto, tendo seu ápice em 1920, quando ousou lançando calças para mulheres que eram inspiradas nas calças de boca larga dos marinheiros.

Coco Chanel em 1935. Créditos: Man Ray.

Coco Chanel em 1935. Créditos: Man Ray.

Suas contribuições para reinventar a moda feminina são lembradas até hoje: saias que mostravam o tornozelo, pérolas que destacavam os pescoços e seu eterno corte de cabelo simétrico, que mostrava a nunca (o clássico dos clássicos corte Chanel), são apenas algumas das marcas eternizadas pela ousadia da estilista.

Além disso, seu Chanel nº 5, criado em 1922, é até hoje o perfume mais vendido em todo o mundo. A criação alavancou seus negócios e, em 1929 Chanel criou em Paris uma boutique especial para a venda de seus acessórios. Como esquecer, inclusive, de mencionar as práticas bolsas à tiracolo em matelassê com correntes douradas?

Créditos: Rex USA/Cortesia Everett Collection

Créditos: Rex USA/Cortesia Everett Collection

Sua carreira na moda teve uma pausa durante a Segunda Guerra Mundial, quando fechou seu salão parisiense e chegou a trabalhar como enfermeira. Chanel chegou a ser exilada devido ao seu envolvimento com um oficial nazista e só retomou seus negócios aos 71 anos, em 1954.

Coco Chanel com a atriz alemã Romy Schneider em Paris, circa 1960. (Getty)

Coco Chanel com a atriz alemã Romy Schneider em Paris, circa 1960. (Getty)

Com seu prestígio intocado pelo conhecido estilo elegante, a estilista voltou com força total e a Maison seguiu crescendo e se consagrando como a marca de sucesso conhecida até hoje. Sempre ativa nas criações da Chanel até o dia de sua morte, em 1970, Coco segue inspirando gerações e mantém-se como uma verdadeira lenda a ser estudada por qualquer profissional do ramo da moda.

Atualmente, a “marca dos terninhos” têm suas criações são assinadas por Karl Legerfeld e chegou a atingir uma receita de quase US$ 10 bilhões em vendas, em 2017.


Tags:,

Deixe um comentário